sábado, dezembro 12, 2009

vadia é a noite

4 comentários:

Anónimo disse...

Disseram-me um dia, em forma de letra impressa no mofo de um livro velho, que somos estrangeiros de nós mesmos. O existencialismo cirandava a adolescência abeirada de varandas e cidades nocturnas... mas acho, agora que me deito com a idade para ser crucificado, que somos vadios de nós mesmos. É mais correcto assim... farejamos alguma coisa do que queremos ser, sempre na ânsia de voltar a algum lugar desenhado da memória dos dias...

Obrigado...

alecerosana disse...

"l'existence précède l'essence"
mas talvez a existência seja um suporte para realçar a essência.

Obrigada pela paragem.

Arabica disse...

...talvez o que mais tenha valor, seja a ponte construída-real-entre a essência e a existência...

Deixo-te o meu abraço de Natal
sabendo que encontrarás nele
as palavras que não escrevo este ano.

Mas que o vivas em amor, paz e harmonia.

alecerosana disse...

Querida amiga, para ti um grande abraço, muita amizade e saúde.