terça-feira, agosto 02, 2011

a inquietação da noite



sons que abafam os gritos de quem um dia sentiu nos braços o suspiro da partida. passos inquietos no silêncio da pesquisa. lábios que se abrem para nos devolver a derrota. e a vida. pudesse eu cortar a noite em fatias e dela extrairia todos os minutos em que a ansiedade arrebatou a percepção da inexistência. a lua foi testemunha do grito que arrasou a esperança. e as imagens passam como um filme mudo. mas há o renascer e com ele as flores que brotam. tão belas. e há os passos incertos. e tu. que habitas o sonho e dele me fazes prisioneira. ser-te-ei. ainda que o tempo corra na girândola da vida e as flores renasçam num coração sofrido.

2 comentários:

Biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas Luís de Camões disse...

Cá estou de volta. Grandes passos nos separavam, mas as águas estiveram sempre certas. Parabéns pelo blogue. um sítio límpido par se frequentar.

alecerosana disse...

Armandina,
Que prazer recebê-la neste espaço!
:)) abraço!