domingo, setembro 17, 2006

o zero absoluto

Há dias assim, em que me sinto perto do zero absoluto, a temperatura para a qual cessam todos os movimentos, onde as substâncias estão isentas de energia. Mas, sendo o zero absoluto impossível de atingir, digamos que estou na sua vizinhança, o que me confere estas propriedades especiais de preguiça, tristeza, nostalgia, etc... enfim... vagueio.

4 comentários:

pb disse...

Olá Miguita, num és só tu que tens dias de zero absoluto, ele a mim, nesses dias, só me apetece abandonar-me num sofá confortavel e deixar correr o dia !!! um beijito

alecerosana disse...

Beijito Amigo! São dias...

MAM disse...

amiga,
Estou de volta, sem vontade, a procurar nos (vossos) outros espaços a coragem de combater a inércia que perigosamente de mim se avizinha. Conheço-lhe os passos, mas também sei que um dia tiro a cabeça da água e sigo por onde tenho de ir, mesmo com água de permeio.
Vou fazer uns posts sobre a Escola, logo que possa. acho que é assunto a precisar muito de MUITA vigilância.
até breve e bom trabalho.
armandina

alecerosana disse...

Bom regresso!! A escola é de facto um assunto que necessita de muita atenção. Um País só progride se a educação também for uma das prioridades.
Obrigada pela visita!