terça-feira, fevereiro 10, 2009


«O tempo, se pudermos intuir esta identidade é uma desilu­são: bastam para o desintegrar a indiferença e inseparabilidade de um momento do seu aparente ontem e de outro momento do seu aparente hoje.» Jorge Luís Borges em História da Eternidade

6 comentários:

Teresa Durães disse...

o tempo em que tanto acreditamos não é fctor de regência da nossa vida. Significa apenas o movimento da terra em torno do sol

alecerosana disse...

há pequenissimas fracções de segundo que se eternizam e dias inteiros que se apagam. é a relatividade...

isabel mendes ferreira disse...

o tempo existe como contraponto ao tempo que não temos...:(((

inexistencia resistente.





beijo-!

pb disse...

O tempo...cada vez mais condiciona a nossa vida, cada vez mais dependemos do tic tac do relógio...beijo

Arabica disse...

O tempo é tudo quanto fazemos dele.

Sem nós não existiria.


Um beijo

alecerosana disse...

A minha mãe costuma dizer: a vida (tempo) é uma passagem...

Abraços


P.S. mesmo neste espaço imaginário há laços que se criam construindo estradas.
Ontem este blog fez três anos, para os amigas/os que me visitam um infinito obrigada.