segunda-feira, novembro 20, 2006

encontrei uma pedra

Encontrei uma pedra, olhei-a de frente, olhei-a de trás e de lado também, bafejada não cheirava a barro, a adição de ácido não provocou efervescência. O brilho era intenso, tratava-se de uma pedra polida, o grau de dureza era elevado, 10 na escala de Mohs, teria com toda a certeza átomos de carbono na sua constituição. Analisando mais em pormenor, verifiquei tratar-se de uma pedra constituída por um único cristal de forma octaédrica. Interroguei-me... estarei perante a nobre pedra cuja eternidade está escrita nos céus? Sim, era um adhamas! Olhei-o de frente, procurei os químicos, desencadeei reacções. Submetia-a a altas pressões, quebrou, era pouco tenaz.
Nada é eterno!

4 comentários:

Mendes Ferreira disse...

olá palavra/pedra/eterna....

________________beijo.






Obrigada.:)))))alma.

alecerosana disse...

Obrigada! Todas as palavras me soam a magia desde que enfeitadas com carinho.
Beijo

pb disse...

hummmm, então os diamantes não o são ? beijinho

alecerosana disse...

São pouco tenazes...
Abraço grande para ti meu amigo! Sei que ando um pouco fugida...