sábado, novembro 25, 2006

jacinta

Ontem, como todos os dias desde alguns meses para cá, afundada em processos para analisar, uma dead line para respeitar e umas avaliações para fazer lembrei-me que tinha bilhete para um concerto no CCB que se realizaria pelas 9 h. O grande problema foi chegar lá, entre chuvas fortes e acidentes ia-me movendo a passo de caracol, eram 10 h quando entrei no átrio do auditório. Levantei o bilhete que o porteiro tinha guardado e dispunha-me a ir para o café mais próximo esperar pela pessoa com quem fizera intenções de ir ouvir o concerto, pois faltavam apenas 30 m para terminar. Solícito o porteiro encaminhou-me então para o terceiro andar e, muito em silêncio e solitariamente, na lateral do último balcão ouvi a Jacinta, cantora de jazz .
Tem uma voz poderosa, conseguindo criar empatia com o público. Gostei!
Jacinta gravou com uma das mais conceituadas editoras de jazz do mundo - Blue Note Records.
Interpretou alguns dos grandes autores do jazz, terminou com uma canção que, para além de belíssima, me traz as mais bonitas recordações - Dorme meu menino a estrela d'alva, Zeca Afonso.

4 comentários:

pb disse...

pois eu sei o caos que estava no transito em lisboa...foi pena teres perdido parte do concerto, mas outros virão !! beijinhos

alecerosana disse...

Beijinhos também para ti!

MAM disse...

Tenho pena de ter perdido, fico contente por saber que é tão boa como eu suspeito.
abraços
armandina

alecerosana disse...

É boa, sim! E temos tão pouco jazz...
Abraço!